Complicações no luto: saiba identificar seus sinais e quando a ajuda especializada é bem-vinda

Complicações no luto

O luto é um período passageiro, mas, em alguns casos, podem haver complicações. Então, vamos falar um pouco a esse respeito.

O que é o luto e qual sua função?

Primeiramente, é bom saber que o luto é um período de elaboração de uma perda. Ela pode ser em razão de situações como morte, perda ou separação. Cada pessoa tem sua vivência particular neste processo. Contudo, tristeza e um maior grau de introspecção são comuns nesse período.

Há certo estigma a respeito do luto e pouco se fala a respeito. Isso porque, na nossa sociedade ocidental, a morte e os temas associados costumam ser evitados. Raramente se fala em uma preparação para ela como parte do ciclo de vida. Então, tudo aquilo que é estigmatizado, tende a ser evitado ou negado. 

Surge, assim, uma tendência de se medicalizar o luto e tratá-lo como uma doença e não como parte da vida. Isso como forma de evitar a tristeza e os sentimentos decorrentes do processo de luto. 

É preciso compreensão de que o luto tem sua função e seu papel. Isto porque corresponde à fase de elaboração da perda e da reorganização que esta perda implica. A exemplo, a morte de um parente pode implicar na reorganização da vida familiar, suas funções e papéis. Apesar de muitas vezes difícil, é um período específico e passageiro.

Alguns sinais de complicações no luto

No entanto, em alguns casos, há complicações no processo de luto. Isso quer dizer que podem haver obstáculos para que ele caminhe para o término. Então, o que seria passageiro ganha uma dimensão maior e se prolonga de maneira excessiva. Em outros casos, ele é vivenciado com tamanha intensidade que acarreta impactos profundos e sentidos em diversas áreas da vida. Ainda há situações em que a pessoa no processo de luto e, diante do sofrimento, coloca sua saúde e vida em risco ou a de outras pessoas.

Suporte no luto

Nestes casos, é necessária uma atenção especial. Torna-se, portanto, benéfico um maior suporte da família e amigos. Além disso, recomenda-se a busca por ajuda especializada de profissionais da saúde. Entre eles, médico da família, psicólogo ou psiquiatra. É possível encontrar este suporte gratuitamente através das equipes da Unidades Básicas de Saúde, vinculadas ao SUS. Estes cuidados podem prevenir que o luto e as situações decorrentes da perda, associados a outros fatores biológicos, psicológicos ou sociais, desencadeiem um quadro como, por exemplo, o de depressão.

Compartilhe!

[addthis tool=”addthis_inline_share_toolbox”]

 

error: Content is protected !!