Rede de apoio e saúde mental

Rede de apoio e saúde mental

Rede de apoio, você sabe qual a importância dela na sua vida?

Quando falamos em saúde mental, é fundamental lembrar que não se trata apenas de algo subjetivo. Muita gente ainda entende a saúde mental como algo que requer mudanças individuais. Assim, imagina que ela esteja associada exclusivamente ao acesso a serviços como a psicoterapia presencial ou online.

Saúde mental está relacionada com todo nosso contexto. Por isso, é preciso considerar nossa vida real e cotidiana de forma ampla. E, assim, também em estratégias possíveis para uma melhor qualidade de vida.

Para começar, que tal pensar em sua rede de apoio?

Ela é constituída por amigos, familiares, vizinhança, comunidade.

Além disso, fazem parte da rede de apoio instituições que você frequenta ou com a qual tem vínculo. Por exemplo, escola, instituição religiosa, serviços de saúde e de assistência social, entre outros.

Estes, em articulação, promovem suporte para nosso dia a dia. Um suporte tanto prático e material, quanto de afeto e relação.

Para falar em rede de apoio, gosto de usar a imagem de uma rede de fios e de sua trama. Quanto mais fios a rede tiver ou mais bem tramada estiver, mais segura ela vai ser.

As redes de apoio tem este papel de suporte e sustentação. Não se trata de uma ajuda eventual, mas de suporte constituído a partir de vínculos.

Rede de apoio

Construção e articulação de redes

Articular rede de apoio é uma excelente estratégia de promoção de saúde. Além disso, tem papel fundamental em nossa saúde mental.

A ideia de rede é muito diferente daquela de dependência em relação a uma única pessoa ou instituição.

A constituição de rede, ao contrário, vai no sentido de maior autonomia das pessoas. Isso porque ela ela fornece suporte prático, concreto e material. Além disso, também aquele relacionado a afeto e relação.

Psicologicamente, promove conforto e segurança e é a materialidade de que não estamos sós.

Então, eu te convido a refletir: como está sua rede de apoio?

Saúde não é apenas ausência de doença. Ela envolve diversas dimensões do ser humano e do seu bem-estar.

Por isso, para a promoção de saúde, é preciso tecer e acionar uma rede ampla. Ela deve incluir serviços de saúde, mas também ir além deles. Para, assim, contemplar diferentes necessidades, no sentido de uma atenção integral.

Podemos pensar a rede de apoio, de fato, como uma rede de fios entrelaçados que fornece suporte e apoio. Então, podemos pensar também nos “artesãos” que tecem e costuram esta rede.

A rede de apoio é uma rede coletiva, portanto, construída a muitas mãos. Nos serviços de saúde e assistência social, entre outros, os profissionais têm papel importante na articulação desta rede.

Mas, como se trata de um trabalho coletivo, todas e todos temos papel na construção e nesta ação de tecer a rede de apoio. Como artesãs e artesãos de nossas redes de apoio, temos um papel ativo.

Mesmo que ela esteja – ou pareça – reduzida, é possível ampliá-la. É sobre isso que vamos abordar na sequência.

Explore seu Território

Explorar seu território (bairro ou comunidade) é um bom ponto de partida para a construção de redes de apoio.

Assim, é possível conhecer e fazer uso dos recursos disponíveis perto de você.

A exemplo, o Sistema Único de Saúde e o Sistema Único de Assistência Social são de base territorial. Significa que os equipamentos de saúde e de assistência são uma referência local a quem reside ou tem vínculo com determinado território.

Conhecer e explorar o território também permite maior vinculação à comunidade e a construção de rede de apoio social.

Uma opção pode ser fazer um primeiro mapeamento virtual. Através da internet, você pode ter informações iniciais sobre o que está disponível no seu território.

De toda forma, este mapeamento não deve ser feito apenas uma única vez. Por isso, prefiro utilizar a expressão “explorar o território”.

Este é deve ser um movimento constante. Isso porque a vida é dinâmica e os locais e seus recursos estão em contínua mudança.

Rede de Apoio Formal e Informal

Serviços como os de saúde e de outros setores fazem parte da rede de apoio formal.

Ela inclui, por exemplo, serviços de saúde, de assistência social, de educação e espaços comunitários. Além disso, serviços de esporte, cultura e lazer, conselhos municipais, entre outros.

Mas a rede de apoio ampla vai muito além da rede formal. Ela inclui também a rede informal.

A rede de apoio informal inclui família, amigos, vizinhos, colegas de trabalho e comunidade. Então, tem como características a familiaridade e a proximidade, com envolvimento afetivo.

Seu papel é fundamental porque nelas estão os maiores vínculos emocionais e afetivos e a proximidade no dia a dia.

Além da rede de apoio formal, procure fortalecer também sua rede de apoio informal.


Mas não basta ter rede de apoio. É preciso saber acioná-la quando necessário. Saber reconhecer seus limites e solicitar suporte é fundamental para o bem-estar físico e emocional. Por isso, sempre que precisar, peça ajuda!

error: Content is protected !!
× Olá!